Minimalismo: quando menos é mais

Se você se sente cansado dos exageros do consumismo desenfreado (e tão estimulado nos dias de hoje), vale a pena entender mais sobre Minimalismo. Existem duas vertentes para o conceito: uma é relacionada à estética, à arte, e ganhou força com o lema “less is more” do arquiteto alemão Ludwig Mies van der Rohe no início do século passado.

Já a vertente relacionada ao estilo de vida começou na França, em 2012, e prega menos consumo e mais qualidade. Em outras palavras, nos convida a pensar se realmente precisamos adquirir tantas coisas para sermos mais felizes. Você já pensou nisso?

Na Pier, adoramos falar sobre equilíbrio e prezamos a plenitude. É por isso que temas assim são sempre motivo para muita reflexão. Você já pensou em adotar um estilo de vida minimalista?

O minimalismo como estilo de vida foca na simplificação dos elementos, ou seja, em deixar apenas o essencial, seja no guarda-roupa, nos móveis, no trabalho e na vida e focar no realmente importa.

Para aderir, não há regras, mas você pode começar escolhendo um aspecto da sua vida. Por exemplo, a organização do seu quarto, e aproveitar para deixar dentro dele somente o que realmente tem importância.

Separe algumas coisas para doar, venda outras coisas, e você verá que, além da organização, também estará ajudando a sua vida financeira, já que começará a entender que não será preciso comprar tanto. Não parece uma opção a ser pensada?

Mais experiências

Minimalistas também costumam priorizar as experiências no lugar das coisas materiais. E o fato é que, ao gastar menos com bens de consumo, certamente sobrará dinheiro para realizar experiências como viagens, cursos, restaurantes, e etc.

Quem pensa em usar dinheiro para ser mais feliz, também pode apostar mais nas experiências pois, segundo pesquisas, elas geram uma sensação mais duradoura de felicidade do que os bens que adquirimos.

Pense bem: quanto tempo durou a sua sensação de alegria por ter comprado uma blusa nova? E o que acontece quando você lembra daquela viagem tão divertida que fez alguns anos atrás?

Pois é, a explicação é que as experiências geram sensações que são repetidas durante toda a vida quando nos lembramos delas. Já as coisas.. bem, você pode começar a refletir do que realmente precisa para se sentir mais pleno!

Marcações:

Deixe uma resposta